Artigo: Os sete Poderes da Biodanza - A VIVÊNCIA

Os sete Poderes da Biodanza® são: a Música, o Movimento Integrado, a Vivência, o Contacto e a Carícia, o Grupo, o Transe e a Regressão e a Expansão da Consciência. Todos convergem para o seu processo central: a Integração da Identidade.

O conjunto de sete Poderes conquista esta qualidade porque todos eles estão presentes em todas as aulas, embora naturalmente em dimensões diferentes, consoante o tema que se esteja a dançar.

Numa partilha recente, sobre a aula anterior, um aluno comentou: “mesmo que eu fosse capaz de descrever uma aula com toda a precisão, ainda assim, seria impossível explicar tudo o que me aconteceu”. Esta é uma boa forma de explicar o que é a vivência…

A vivência é o que acontece, de forma simples, espontânea, verdadeira, total, subjectiva, irrepetível e pessoal numa aula de Biodanza®. Ela é favorecida e incentivada pela metodologia de aplicação do seu modelo teórico que abre caminho à experiência total de viver no Aqui e Agora.

Em Biodanza® é promovido o encontro com a existência complecta, devolvendo, nessa experiência real e unificadora, o lugar privilegiado para aceder a todo o conhecimento interno e externo, disponível para quem está vivo.

Esta experiência revela ainda o quão dissociado é o nosso quotidiano, onde a pressão e a coerção nos incitam à rapidez, à lógica e à racionalidade linear.

 

O padrão externo afasta-nos constantemente do nosso próprio tempo que, quando é escutado, nos devolve ao bem-estar e equilíbrio orgânico e biológicos - ao nosso ritmo auto-regulado.

Redescobrir esta capacidade de auto-regulação e identificando os nossos próprios ritmos podemos então abraçar um espaço existencial maior e mais harmonioso e assim responder melhor ao mundo externo a partir do mundo interno de que somos cada vez mais conscientes.

Catarina Almeida, 16Jan17

1 / 1

Please reload

Esta Experiência Lipton ilustra como hoje é tão fácil vivermos desatentos, de nós e do que nos rodeia…

Com a prática da Biodanza procuramos um caminho para viver em sintonia interna entre o que pensamos, o que sentimos e como actuamos.

Atentos ou desatentos?